04 novembro 2010

Cristo, Pão-de-açúcar e Maracanã! @riodejaneiro

Semana passada eu estive no Rio de Janeiro. Com essa viagem, já são três lugares maravilhosos do Brasil que eu tive a oportunidade de conhecer. Cada um tem uma característica própria, algo que o diferencia dos outros. A capital paulista é uma cidade movimentada, onde tudo acontece, o tipo de lugar para quem gosta de uma vida agitada; repleta de prédios e empresas. Porto Alegre, por outro lado, é mais calma, tranqüila, com uma arquitetura mais clássica e antiga, onde você, em alguns momentos, sente como se estivesse em outro país. As duas me fascinaram de maneira diferente! Quando eu cheguei no Rio me senti mais "em casa". O clima é parecido com o da minha cidade, ao qual já estou habituada, e os dois têm muitas coisas em comum. Praia, por exemplo, é uma delas. Não é daquele tipo de lugar que você tem que fazer uma viagem pra chegar à praia, não, ela fica logo ali! Aqui é assim. As ruas são bastante parecidas também, tanto que me peguei muitas vezes no impulso de sair por aí sem rumo. Também há diferenças bem grotescas entre Fortaleza e o Rio, como, por exemplo, a arborização. O Rio é muito arborizado! Até as ruas mais estreitas são repletas de árvores e tem grama na parte frontal da maioria das casas. Querendo ou não, isso ameniza bastante o clima, acho que se aqui também fosse assim a sensação de calor diminuiria bastante. São essas e outras coisas que me fizeram amar o Rio e sentir falta dele quando voltei para casa. Durante os próximos dias estarei escrevendo pequenos artigos como esse numa série que chamarei de @riodejaneiro, onde falarei e mostrarei os lugares do Rio que eu visitei. Nessas primeiras postagens vou falar um pouco sobre a capital e os momentos que passei nela.

A começar pelo hotel! Não era lá um daqueles de cinco estrelas (aliás, eu não gosto muito de hospedagens luxuosas, me dá a impressão de que eu estou gastando dinheiro à toa), mas era bem bonito. Era aconchegante, simples, porém requintado. A princípio ficamos no segundo andar, mas depois tivemos de mudar para o sétimo por conta de um problema no ar condicionado. Da nossa janela dava para ver uma boa parte da Av. Nossa Senhora de Copacabana (que é gigantesca!) e até a praia, que ficava a apenas um quarteirão do hotel.

Av. Nossa Senhora de Copacabana, vista da janela.

Recepção do hotel.

Barzinho nos fundos do hotel.

No primeiro dia não fizemos muita coisa. Cheguei tão cansada e dolorida por causa do avião que preferi ficar no hotel e descansar. Como caiu uma chuvinha à noite, ficamos por ali mesmo. No segundo dia, minha mãe arranjou um tour para nós. A guia era super simpática (pena não termos tirado uma foto, né, Fátima?) e tinha um bocado de gente legal na Van (duas colombianas, uma equatoriana e um casal, onde a mulher era do Maranhão e o marido da Suíça, creio eu). Primeiro nós fomos no Cristo Redentor, uma das principais, senão a maior, atração do Rio. Como tinha chovido no dia anterior, quando subimos, tinha um bocado de neblina ao redor da estátua, o que nos impediu de vê-la completamente. E tinha um montão de gente lá! Japoneses, espanhóis, americanos... nunca vi tanto estrangeiro junto.

Cristo parcialmente coberto pela neblina.

Subida íngreme até o Cristo.

Depois do Cristo nós demos uma passada no Maracanã. Não pudemos entrar, pois o estádio está em reforma para a próxima Copa, mas fomos à calçada da fama e vimos as marcas de pés de vários jogadores. As que mais me atraíram foram as da Marta, jogadora da seleção feminina, sou super fã dela! Talvez por ela ser mulher e ter conquistado tanto respaldo quanto os jogadores masculinos e quebrado um tabu (embora outras mulheres tivessem quebrado também) de que as mulheres não podem jogar futebol.

Entrada.

Meus pés nas marcas da Marta.

Também demos uma volta lá no Sambódramo! Aquele lugar onde as escolas de samba desfilam para competir. É enorme e a gente ainda pôde pegar algumas daquelas fantasias gigantes e pesadas pra tirar uma fotos. Minha mãe foi a que mais se empolgou.

Juliana, eu e mamãe ao lado das fantasias.

Parte externa do Sambódramo.

A catedral do Rio é hiper linda, e a forma dela é meio exótica: piramidal. Na verdade, por não ter uma ponta lá em cima, ela fica sendo um cone. Mas é enorme! Dentro, tem um altar bem chamativo e algumas das paredes que levam ao teto são coloridas e bonitas! Eu cheguei até a alimentar uns pombos que tinha na calçada da frente, foi demais.

Catedral vista de fora.

Altar.

Depois da catedral nós demos um intervalo e fomos almoçar num pequeno restaurante bem perto do nosso hotel, para depois retomarmos as forças e voltar ao passeio. Na segunda parte nós fomos ao bondinho do Pão-de-açúcar (que nos tomou o resto da tarde), e foi MUITO irado! A princípio eu fiquei com medo, principalmente depois que eu vi a altura daquilo, mas depois que eu vi que era seguro fui me acalmando. Foi nesse momento que fizemos amizade com as colombianas (que até o presente momento só tinham trocado olhares comigo). Eu me virava no espanhol e minha mãe e irmã falavam português mesmo, e elas acabavam entendendo. Conversamos sobre muitas coisas enquanto subíamos o bondinho, e eu as ouvia falar sobre a ida até a Argentina e do quanto os homens de lá são bonitos. Vai saber, né? Quando chegamos no primeiro monte vimos um macaquinho super fofo! Eu fiquei louca por ele e até tirei umas fotos. Demorou um tempo pra ele olhar pra câmera, mas consegui o ângulo. Lá de cima do segundo monte a gente viu o Rio inteiro, não com total nitidez por causa da neblina, mas a vista não deixava de ser linda. Fazia um frio danado lá em cima, nossa! E estava com tanta névoa que a gente se sentia como naqueles filmes de terror em que o personagem está cercado de fumaça e não é capaz de imaginar de onde o assassino vai sair. Ou então no céu. A aparência do lugar ficou super exótica...

Entrada do bondinho.
Neblina tomando conta.

Macaquinho fofo que vimos no topo do monte.

Super neblina!

Eu adorei cada lugar, são muito lindos mesmo! Visitei muitos outros, mas isso será tema para as próximas postagens. E vocês? Já visitaram o Rio? O que acharam?

Kiss! =*

5 comentários:

P.R disse...

Realmente o Rio é um local muito bom pra ir e visitar. Outro lugar bem interessante pra se ver lá, perto da catedral é andar no bondinho de santa teresa, recomendo a viagem.

Bom post.

Vc é fodastica nana *-*

Rodrigo disse...

Gostei do barzinho do hotel. AEHUAEHUAEH

Leviatã disse...

Cara, eu ficaria naquele barzinho do hotel o dia todo. AUSHUASHUSAH Brincadeira! Muito lindas as fotos, Mari! deve ter sido demais mesmo visitar o RJ... E eu acho ainda mais lindo esses dias nublados. E com neblina ainda? nossa, eu me apaixono!
Espero ler mais, querida! Beijão!

Anônimo disse...

Essa catedral é magnifica. É bom ver que ao menos uma coisa de boa surge da religião.

Anônimo disse...

Aquela foto do cristo coberto por neblina tem um clima bem místico. Daria uma ótima capa pra filme de suspense. e_e