08 novembro 2010

Petropolis @riodejaneiro

Oi, pessoas! Tudo bem? espero que sim. No post passado eu falei um pouco sobre minha viagem ao Rio e mostrei alguns lugares bacanas que eu visitei na capital. Agora chegou a vez de Petropolis! Petropolis é uma cidade serrana que fica a 68 km da capital carioca. Devido à altitude, o clima, em algumas épocas do ano, chega a ser bem frio, mas graças a Buda, quando fomos, não estava tão ruim. A paisagem na estrada também é digna de elogios! A gente acaba esquecendo que está no Rio de Janeiro, conhecido pelo calor e pelas praias. Antes de chegar, paramos em uma lojinha que ficava na estrada, e como estávamos em uma van de excursão com mais alguns passageiros, a maioria quis aproveitar para comprar um lanchinho ou ir ao banheiro. Por sorte, a lojinha tinha um lugar, nos fundos, muito bonito e na beira do enorme abismo que tinha entre as serras! Além de tirar fotos lindas, tanto da paisagem quanto minhas e da minha mãe e irmã, foi a primeira oportunidade que tivemos de conversar com as outras pessoas da excursão. A maioria falava português, com exceção de um casal alemão e um rapaz canadense. Foi nessa hora que o câmeraman da viagem entrou em ação! Era um rapaz que estava filmando todo o passeio, e fez questão de filmar eu, minha mãe e irmã um montão de vezes!

Eu, mamãe e irmã
Vista que tivemos nos fundos da lojinha


Prosseguindo viagem, paramos em frente a um ENORME hotel, que antes funcionava como um cassino, muito, mas muito lindo mesmo. Tinha um lago na frente que, por curiosidade, tinha as margens na forma do contorno do mapa do Brasil. O câmeraman pediu que a gente se apresentasse para a câmera e mandasse um alô para quem estivesse vendo. Eu, claro, mandei um beijo pro Mu, meu gatinho, estava morrendo de saudade dele!
Antes cassino, agora hotel

Eu e minha irmã, na frente da construção


Em seguida, passando pela avenida principal de Petropolis, que era muito movimentada devido ao comércio, fomos visitar a Fábrica de Chocolates da cidade. Era uma loja relativamente pequena, se comparada à de Gramado (ou era canela?) do Rio Grande do Sul, mas era bem bonitinha e aconchegante. Detalhe que meu cinto estava torto e eu ficava arrumando-o o tempo inteiro! O câmeraman deve ter filmado isso umas trocentas vezes. A gente comprou bastante chocolate, principalmente minha irmã e mãe, que gostam muito mais do que eu. O que eu comprei foi só para dar de presente para alguns amigos.

A fábrica (na foto, o sueco da excursão)

Balcão


A nossa próxima, e principal, parada foi no Museu Imperial. Ele era enorme! Muito arborizado na parte de dentro também. O museu, que antes era a casa de Dom Pedro II, era a residência preferida do imperador. Ali, ele passava horas com sua família. Atualmente, o museu dispõe de muitos objetos reais, desde cetros, coroas, roupagens, móveis até a pena de ouro com a qual foi assinada a Lei Áurea pela princesa Isabel. Foi uma pena não poder tirar fotos da parte interna, os organizadores do museu não permitiam, então só conseguimos fotografar um cômodo que não ficava exatamente dentro do museu, mas fora. Era a parte onde ficavam as carruagens. O engraçado é que lá no museu estava tendo uma excursão escolar, então vários alunos de diversas escolas estavam perambulando pelo lugar. Como eu não tenho esteriótipo de brasileira (sou baixinha, quase albina, ruiva e magrela), muitos acabaram me confundindo com uma estrangeira. Uma menina, por exemplo, cochichava com a outra sobre ter dúvidas se eu falava português (e eu fazendo cara de quem não estava entendendo) e ao me perguntar, eu respondi "Si, pero no mucho". Já que me achavam estrangeira, resolvi brincar e me fazer de uma! Americana não porque meu inglês não é bom, então paguei de espanhola. Depois o câmeraman ficou me zoando.

Entrada do museu

Carruagens

Eu, mamãe e irmã com a família real


Depois do museu fomos almoçar num restaurante pequeno e simpático à algumas ruas. O lugar era muito bonitinho e aconchegante! Comemos até nos saciarmos e depois subimos alguns metros e chegamos à casa do Santos Dumont, onde demos uma parada pra visitar e conversar. Minha mãe e irmã subiram para a visitação, mas eu fiquei lá embaixo conversando com a guia e os estrangeiros. Havia um Sueco (o da foto lá em cima, na Fábrica) conosco na van, mas ele falava português e ajudava a guia a traduzir a conversa toda para os alemães e o canadense. Eles falaram, em um ponto da conversa, sobre o livro 1822, recentemente lançado, que conta a história do Brasil sob outra perspectiva. Muito bom, recomendo.


Entrada do restaurante

Guia explicando coisas para os estrangeiros

Casa do Santos Dumont (câmeraman de amarelo)


Por fim, visitamos a Catedral, construída em estilo gótico, e o Palácio de Cristal, presente dado à princesa Isabel pelo Conde D'eu. Ambos eram muito lindos e ainda guardavam elementos originais em sua composição (menos o próprio cristal, que ele foi destruído por uma chuva de granizo que se deu na época).


Entrada da Catedral

Palácio de Cristal (e meu cabelão vermelho)


O passeio, infelizmente, acabou por aí. Para compensar, compramos o dvd com as filmagens da viagem e agora podemos ver sempre que quisermos! Um lugar lindo, com certeza, e que vale a pena se conhecer. É muito engraçado a sensação de saber que você está com frio ali, mas quando descer alguns quilômetros vai estar no sol de 40º graus do Rio de Janeiro. Essa dinâmica no clima é bem cômica!

E aí, o que acharam? Alguém já visitou Petropolis? E quem não visitou, o que achou, pelo que eu mostrei?

Kiss!

2 comentários:

Guto disse...

Nossa, realmente, tirou muito o estereótipo de que RJ = Praia e sol! Adorei a matéria, Nana! Parabéns! Me deixou com vontade de visitar o RJ!

@ Magnet Monica disse...

Olá! Primeiramente obrigada por visitar meu blog :D
Nossa, que lindo o lugar, gostei muito da postagens e das lindas fotos.

Espero mais visitas (vou retribuir com prazer)! Beijos e boa semana!