09 janeiro 2010

Meus perversos desejos.

Cheguei a desejar que sem mim não vivesse. Que sem mim, perdesse a fome, a sede, e a vontade de fazer as coisas. Que sem mim o seu ar faltasse, que ficasse difícil respirar. Que sem mim seu dia se tornasse cinza e sem-graça, como uma flor vermelha em um jardim carmesin. Que sem mim seu coração se partisse, suas lágrimas surgissem e que sequer conseguisse dormir. Cheguei a desejar que fosse rejeitado pelo mundo. Que precisasse de mim pra caminhar, que eu fosse a sua estrela-guia e também a linha de chegada. Que lembrasse de mim a cada vez que ouvisse meu nome e que, ao andar distraidamente pela rua, me notasse no primeiro copo-de-leite que encontrasse pelo caminho. Cheguei a desejar que parasse de se sentir tão culpado ao falar comigo. Que se sentisse sozinho sem minha companhia, que chorasse de dor nos momentos em que eu não pude estar com você e que suas noites fossem apenas noites, sem qualquer entusiasmo, sem a minha presença. Que eu fosse a única coisa que te fizesse sorrir em um momento de dor e a única a conseguir tirar de você um sorriso sincero. Cheguei a desejar que não se sentisse diferente da maioria. Que pensasse ser só mais um a quem trato bem, e se preocupar com a minha repentina mudança de atitude. Que sentisse a dor de estar bem perto daquilo que mais se quer e vê-lo se esvair de suas mãos sem que possa fazer nada. Que consiga me fazer tratar-lhe com extremo afeto e que ache que as coisas estão progredindo, para depois eu poder vir e acabar com as suas esperança em poucas, porém doloridas, palavras egoístas. Cheguei a desejar que me amasse tanto que doesse. Que não coubesse no seu peito e seu coração explodisse. Que tivesse que forçar alegria só pra me ver bem. Que me amasse tanto a ponto de ter que esconder dentro peito, em um lugar onde ninguém poderá criticar, esse amor tão grande e ter de agüentar a sensação agonizante de guardá-lo por anos, calado. Que sentisse a dor de ter de sempre dormir (quando dormisse) imaginando que seríamos apenas amigos, nada mais. Cheguei a desejar que me amasse, que me desejasse, que me admirasse. Que suportasse o desatino de ver-me sempre com outros garotos, nunca com você, e que me ouvisse falar deles por horas e ainda ser capaz de me dizer com sinceridade o que eu deveria fazer quanto a isso. Cheguei a desejar que sentisse tudo isso, talvez assim percebesse o amor imenso em meu olhar.

4 comentários:

Dw - Caio disse...

Nossa, amei o que escreveu. Pessoas que escrevem bem e sabem expressar seus sentimentos é outra coisa. <3 [?]

Kyoshi Kunitake disse...

Krakkk, ce escrevi como as melhores poetas
AMeii ouww ta irado demaisss!

Ícaro Santiago. disse...

Tu é phoda ok ? Eu vou comprar todos os teus livros *-* JAISOAJSOA. <33

anne k. disse...

*---* Eu total entendo isso =/
Tão lindo o que você escreve *----*