27 outubro 2008

Desabafos forçados.

Sempre que acordo, ele já não está em casa. Já faz quase duas semanas que não nos encontramos para o café e é muito chato comer sozinho. A casa sempre está uma bagunça, pra variar, e eu, sinceramente, não sei como ele encontrava alguma coisa ali antes de eu chegar. Se eu não tenho talento, ele não tem um pingo de organização naquela cabeça loira. Loiro. Os cabelos dele são tão dourados e sedosos... Tudo bem, mas isso não vem ao caso. E o quarto daquela criatura, então? Deus do céu! Como alguém consegue trabalhar naquele chiqueiro? Além do cheiro insuportável de cigarro impregnado no ar e as cinzas espalhadas pelo quarto, têm folhas de papel largadas por todo lugar que saíram sabe Deus de onde. Qualquer dia aquele louco morre de câncer, o pulmão dele deve ter um buraco maior que o da camada de ozônio. Nnão tem um pingo de apego a mim, sou praticamente uma máquina de limpeza sem custo benefício, e não recebo um agradecimento sequer. Quero ver o que ele ia fazer sem mim! Só porque é um escritor famoso, é assediado todos os dias e seus livros são vendidos por todo o mundo não quer dizer que ele escreva melhor do que eu. É, não quer dizer. Isso não lhe dá o direito de me rebaixar e criticar as minhas composições. Ele tem essa mania grosseira de pisotear as pessoas como baratas. Me rebaixa, me difama, me põe pra fora de casa quando simplesmente sente vontade, mas quando algum garoto dá em cima de mim fica louco de ciúmes, e aí me maltrata de novo! Não entendo. Isso deve ser coisa de gente loira, ou ele deve ter distúrbio bipolar. Já o vi falando sozinho algumas vezes, será que tem alguma relação? Enfim, é melhor eu dar um jeito nessa espelunca que ele chama de quarto antes que ele volte, senão eu vou ficar do lado de fora.

5 comentários:

esparadrapo disse...

Gosto de poucas coisas. Aliás, as vezes eu acho que não gosto de ler nada. Acho tudo uma repetição de alguma coisa que já vi. Aqui não. Diferente, você fala de coisas simples. Eu gosto de coisas simples. Obrigado pela visita ao blog. Entre na comunidade dele. beijão. volte sempre. a comunidade é: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=418127

MARLO RENAN disse...

Gostei muito desse aqui :)
Teus textos são bem fluidos, agradáveis de se ler.

No conto, achei legal a idéia do cara como escritor. É como se mostrasse o "lado negro" dos escritores famosos. E a participação da narradora foi fundamental para deixar isso claro. Muito bom.

Curti também os pronomes em negrito. Deu um toque legal.

Beijão!
;*

Jéssica Oliveira disse...

Bom texto, é divertido e reflete sobre o cotidiano de um casal, muito legal.
Você tem que virar uma escritora, essa é sua vocação.

beijosmeliga

xD

Lucas Xavier de Melo disse...

Teus textos tem uma simplicidade, e ao mesmo tempo, uma certa classe.

Admiro essa tua caracterísca, gostei.

Edu Azevedo disse...

Já que estão comentando sobre teu jeito de escrever, realmente.. teus textos nos tocam de uma maneira bem forte, pois tu escreve de uma forma que eh simples de entender e ao mesmo tempo, expressa o que muitas vezes o nosso coração sentiu, ou sente..

tu tem um dom querida, continue assim!
e Parabéns!